Destaques

Mostra Comemorativa – Ciclo do Recife: 100 Anos

Os anos 1920 foi um período de intensa atividade cinematográfica no estado de Pernambuco, neste período destacam-se as produções conhecidas como Ciclo do Recife (1923 a 1931). Com a novidade das máquinas de captura de movimento e exibições fazendo sucesso e fervendo entre os pernambucanos, não tardou a criação da produtora Aurora-Film, fundada por Edson Chagas e Gentil Roiz, com o apoio de Ary Severo. A pioneira tinha o objetivo de rodar filmes de enredo no estado e se inicia no cenário com a produção de Retribuição, em 1923. O filme com roteiro e direção de Gentil Roiz e fotografia de Edson Chagas, foi estrelado por Almery Steves, a primeira atriz do cinema pernambucano, e Barreto Júnior. A produção levou quase dois anos para concluído, teve sua estreia no Cine Royal (localizado na Rua Nova), e foi um sucesso de público.

Durante a realização do Ciclo, Pernambuco foi palco de 13 longas-metragens, que ganharam as telas dos cinemas da cidade e alguns de outros estados do país. Por isso, a Cinemateca Pernambucana planejou uma homenagem aos 100 anos do Ciclo do Recife! A Mostra é parte da programação da 26ª Mostra Retrospectiva/Expectativa do Cinema da Fundação, em três sessões espalhadas pelas salas Derby, Museu e Porto, serão exibidos quatro filmes do mais prolífero dos Ciclos Regionais da década de 1920 no Brasil.

Entre os destaques da Mostra, está a exibição da nova cópia digital de Retribuição (Gentil Roiz, 1925), considerado o primeiro filme de ficção pernambucano. A nova cópia foi produzida pela Cinemateca Brasileira, e é uma digitalização em 4k a partir de uma cópia de imagem em película de nitrato (suporte fílmico utilizado até a década de 1950). A cópia digital de Retribuição reproduz as cores do material em nitrato e apresenta uma qualidade de imagem muito superior às cópias disponíveis comumente.

A sala Derby dá a largada destas sessões especiais, a partir da exibição conjunta de “Retribuição” (1924), no qual uma mocinha recebe do pai um mapa do tesouro e, auxiliada por um charmoso companheiro, enfrenta os bandidos, também dispostos a colocar a mão na fortuna, e “Revezes” (1927), um filme que gira em torno de um ambiente rural dominado por um fazendeiro cruel que explora os vaqueiros e age como um tirano.

Logo após a exibição, que será aberta ao público, haverá um debate sobre os filmes com o crítico e pesquisador de cinema, Alexandre Figueirôa, e com a presença da equipe da Cinemateca Pernambucana.

A bilheteria abre uma hora antes da sessão para a retirada dos ingressos gratuitos.

 

SESSÕES

08/12/2023, SEXTA-FEIRA (DERBY)
19h30 – Revezes… + Retribuição
Após a sessão debate com Alexandre Figueirôa

16/12/2023, SÁBADO (MUSEU)
14h30 – Aitaré da Praia

20/12/2023, QUARTA-FEIRA (PORTO)
19h – A Filha do Advogado

 

ENTRADA GRATUITA EM TODAS AS SESSÕES