Adelina Pontual

Adelina Pontual, nascida no Recife, é uma das principais realizadoras de Pernambuco. É graduada em Comunicação Social pela UFPE, se especializou montagem na Escuela Internacional de Cine y Televisión (EICTV), de San Antonio de Los Baños, em Cuba.

Em 1985, ainda estudante universitária, Adelina participou da criação do grupo Van-retrô, fundado também por Paulo Caldas, Lírio Ferreira, Cláudio Assis e Samuel Holanda. Marcados pela experiência do vídeo, essa geração perseguia o objetivo de trabalhar com película. A forma de produção desse grupo, em que todos participavam dos projetos dos colegas, passou a ser denominada de “brodagem” e definiu a retomada da realização de longas, a partir de Baile Perfumado (1986), de Paulo Caldas e Lírio Ferreira. Na década de 90 foi sócia da produtora Parabólica Brasil, junto com Claudio Assis e Marcelo Gomes.

Adelina participou de vários curtas e mais de vinte longas dos colegas, como assistente ou continuísta. Torna-se, assim, uma profissional requisitada nessa função. Trabalhou em filmes como O Palhaço, de Selton Melo; Que Horas ela Volta?, de Anna Muylaert; Carandiru, de Héctor Babenco; Abril Despedaçado e Central do Brasil, de Walter Salles, entre outros. Em 2013, Adelina lançou seu primeiro longa metragem, o documentário Rio Doce/CDU.

Adelina Pontual depositou a sua obra completa na Cinemateca Pernambucana, que está liberada para consulta online e presencial.

 

Filmografia 

Os filmes de Adelina são: Rio Doce/CDU, 2013; Retrato, 2012; Véio, 2005; O Pedido, 1999; Cachaça, 1995; Punk Rock Hard Core – Alto José do Pinho – É do Caralho!, 1995; Samydarsh: Os Artistas da Rua, 1993; El Monstruo, 1991; Cosas de Mujer, 1989.

Acesse aqui os filmes disponíveis da diretora.