Destaques

Cinemateca Pernambucana participa da Mostra do Filme Livre 2019

A Cinemateca Pernambucana da Fundação Joaquim Nabuco participa do maior festival de cinema brasileiro independente: a Mostra do Filme Livre que chega a sua 18º edição com exibições em Brasília, São Paulo e Rio de Janeiro, que vai até 3 de junho 2019. Geneton Moraes Neto é um dos homenageados deste ano, com a exibição de nove curtas em Super-8, realizados entre 1973 e 1983, e digitalizados em 4k pela Cinemateca Pernambucana.

A programação em sua homenagem tem a curadoria da Coordenadora do Cinema da Fundação Joaquim Nabuco e da Cinemateca Pernambucana Ana Farache e do pesquisador e professor da UFPE Paulo Cunha, codiretor dos curtas “Coração do Cinema” e “Esses Onze Aí”, presentes na Mostra. As sessões dos curtas serão seguidas de debates e ambos os curadores estarão presentes para conversar com o público nos CCBBs de São Paulo, Brasília e Rio sobre a importante produção de Geneton no campo do audiovisual e sobre o legado de seus filmes.

Geneton Moraes Neto – Nascido no Recife, em 1956, Geneton [Carneiro de] Moraes Neto foi jornalista e cineasta. Iniciou a carreira como repórter ainda adolescente, no suplemento infantil Júnior, do Diario de Pernambuco, no início dos anos 1970. Geneton trabalhou na sucursal Nordeste de O Estado de S. Paulo, entre 1975 e 1980, na Rede Globo de Televisão a partir de 1985, tendo sido editor do Jornal da Globo e do Jornal Nacional, e posteriormente correspondente da GloboNews e do jornal O Globo na Inglaterra. Foi ainda editor-chefe do programa dominical Fantástico. Em paralelo ao trabalho jornalístico, foi responsável por uma importante produção no campo do audiovisual. A partir de 1973, passou a realizar curtas em Super-8, por influência e incentivo do crítico pernambucano Fernando Spencer. Até 1984, realizou curtas em Pernambuco, no Rio de Janeiro, na Itália e na França. Sempre curtas experimentais, baseados em textos poéticos, e explorando a imagem estourada da bitola super-8.

Curso – Em Brasília (de 16 a 18 de abril), os curadores Ana Farache e Paulo Cunha irão realizar o curso “O cinema nas margens: o super-8 de Pernambuco nos anos 1970”, que vai abordar a produção de cinema experimental em Pernambuco entre 1973 e 1984. Nesse período, foram produzidos mais de duzentos curtas por um grupo de cineastas que propuseram uma nova leitura do cinema no Brasil. A ideia do curso é apresentar filmes de cineastas como Geneton Moraes Neto, Amin Stepple, Ivan Cordeiro, Fernando Spencer e Jomard Muniz de Brito para tentar compreender a extensão dessa produção periférica.

No primeiro encontro será discutido o início do surto de Super-8 no Recife, em 1973, e suas duas principais vertentes da produção: o documentário e o experimental. No segundo dia, serão destacadas obras específicas e significativas dos realizadores. Fechando o encontro, o foco será o esforço de preservação desse material empreendido pela Cinemateca Pernambucana, quando será apresentado um balanço do seu primeiro ano de funcionamento. E, finalmente, será apresentado o procedimento desenvolvido pela Cinemateca para a preservação digital dos filmes depositados em cessão pelos produtores/realizadores.

 

Programação completa da 18º Mostra do Filme livre no site:
www.mostradofilmelivre.com